Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Player 1 Reads

Player 1 Reads

Dom | 23.02.20

As Aves Não Têm Céu

Um livro que infelizmente me desiludiu.

ivy hurst

IMG_20200201_150844_739.jpg

2stars

Olá!

Como em tudo na vida, por vezes há livros que nos desiludem. Hoje não vamos falar de um livro maravilhoso e que eu amei, mas sim de um que me desiludiu tanto que eu nem sou capaz de o recomendar. Na verdade, nem sei como lhe dei duas estrelas.

Vamos a isto?

 

dbc3b90-c9236d98-920b-460b-9903-1f81c2037804.png

Sinopse:

Um homem vagueia pelas noites insones, revisitando o passado e a culpa que lhe vai consumindo os dias. A mulher trocou-o por outro e levou consigo a sua única filha, ainda pequena. Na semana de férias em que finalmente pode estar com ela, sofrem um acidente de viação que resulta na morte da filha.
A culpa e o passado cruzam-se neste romance feito de gente que vive no escuro, como o taxista que várias vezes apanha este pai e o transporta pela cidade silenciosa, e os dois companheiros com quem desde a morte da filha partilha o espaço.

Vencedor do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís 2015, Ricardo Fonseca Mota regressa à ficção com As aves não têm céu, um romance lírico que vem dar voz às sombras que se escondem nos recantos mais obscuros da alma humana.

dbc3b90-c9236d98-920b-460b-9903-1f81c2037804.png

 

Desde o ano passado, quando li Demência e amei, prometi a mim mesma que este ano ia dar mais oportunidades a autores portugueses. Vou ser honesta quanto a duas coisas.

1ª - Quando vejo um livro de autor português, fico meio de pé atrás. Infelizmente, não tenho boas experiências com leituras de livros escritos por autores portugueses, então... é isso.

2ª - Se é de autor português e a maioria das pessoas diz que ama (e quando dizem, falam quase todos o mesmo), fico ainda mais de pé atrás. Isto porque já me aconteceu ver imensa gente entusiasmada com certos livros, criam grande hype à volta daquilo, e quando eu fui ler não gostei e não concordei com nada do que tinham dito. Gostos são gostos. 

Por isso, pelas minhas más experiências tanto com livros de autores portugueses como com livros que criaram grande hype, eu basicamente fujo 

 

MAS,

como li aquele no ano passado e amei tanto que dei 5, pensei: Porque não começar a dar uma oportunidade a autores portugueses?

Portanto, quando recebi as informações sobre este livro, pedi-o à editora. Desde já quero agradecer à Porto Editora por me terem cedido um exemplar ♡

A sinopse cativou-me, é verdade. Vivo para o drama e quem acompanhou as histórias que publiquei há uns anos aqui pelos blogs e depois no Wattpad sabe muito bem disso. Aliás, ainda escrevo muito drama, mas num fórum RPG.

Portanto, quando li a sinopse nem pensei duas vezes. Especialmente porque também é um livro com poucas páginas, então pensei que o iria conseguir ler num instante e quiçá, gostar dele.

 

Não gostei. De todo.

Ao início até estava a gostar, apesar da escrita. 

E confesso que ler esta parte:

"Será que a menina

– Mãe! Mãe!

debaixo de água?"

incomodou-me um bocado. Isto porque a minha mente decidiu automaticamente criar a imagem de uma menina pequena, presa na sua cadeirinha, no carro a afundar-se. E se imaginar uma coisa destas não vos incomoda, então parabéns porque nada vos deve incomodar 

Eu própria não me impressiono nem fico perturbada facilmente, mas isso deixou-me desconfortável.

E acho que esta é a única coisa boa que tenho a dizer sobre este livro.

 

Não gostei nada, mas mesmo absolutamente nada da escrita. É confusa e tive partes em que simplesmente eu já não sabia o que raio estava a ler, confesso. Sinto que a história divagou muito do foco principal. A escrita deu-me cabo da cabeça e aquela que era para ser uma leitura fácil a meu ver, um livro que se lesse bem por nem às 200 páginas chegar, tornou-se numa leitura lenta e confusa. Estive para desistir várias vezes, confesso.

Vi duas opiniões acerca deste livro no Goodreads, onde falavam maravilhas da história e escrita, e pensei "meu deus, devo ser muito totó e devo ter lido tudo mal". Mas afinal não fui sou eu. O Informador acha o mesmo que eu. Eu realmente só queria um livro que pudesse servir de boa companhia durante dois ou três dias no máximo, mas com aquela escrita complicada e confusa não foi isso que aconteceu.

A história acabou por tomar um rumo que eu não estava à espera e eu sinto que não me satisfez, de todo.

 

Um romance lírico que não me cativou nada.

Um livro que eu não recomendo.

3 comentários

Comentar post